Agora eu tenho Blog

Imagem

Eu sei que parece um pouco demodê, meio anos 2000, mas agora eu tenho (voltei a ter) um blog. Só não é mais demodê que a palavra demodê.

Blog é aquele negócio que  transforma  vendedores de seguro em jornalistas, universitárias com tempo de sobra em editoras moda, advogados em críticos de vinho e este publicitário/cineasta inimigo das regras gramaticais em cronista.

Não deixa de ser um atitude egocêntrica como no Facebook e Twitter onde nos achamos únicos e especiais por fazer comentários brilhantes sobre tudo e todos, só que com mais toques.

Mas o que me me levou a voltar para o avô das redes sociais é justamente a disponibilidade de toques. Poder escrever e escrever, livre dos quadradinhos e retângulos que nos intimam a limitar nossos textos na internet. Ter liberdade para ser um falso jornalista, editor de moda crítico de vinho, especialista em arte húngara, historiador das Ilhas Faroe ou coisa parecida. É a sensação de imortalidade que ganhamos ao ter um texto no espaço digital, na nuvem, no etéreo, no virtual e eterno. É me elevar através de uma arte que nunca sairia da gaveta nos tempos pré-blog.

É a sensação de ser lido sabendo que isso, muito raramente, deve acontecer.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s