A divisão entre direita e esquerda nunca teve a ver com feminismo.

Feminismo é a luta das mulheres por direitos iguais aos dos homens, seja no capitalismo, seja no comunismo.

Direita e esquerda tradicionalmente é uma divisão entre fãs do capitalismo e fãs do socialismo. Na minha opinião, até mesmo esse conceito está superado. Hoje, direitistas apoiam um Estado menor, com um enfoque liberal e o povo da esquerda sonha com o Estado de Bem-Estar Social (Welfare State), nos moldes da Europa ocidental dos anos 70. Ambos são capitalistas.

Curiosamente, por motivos que desconheço, a direita brasileira, especialmente  a mais extremada,  colocou a luta contra o feminismo como uma de suas pautas fundamentais.

O Pastor Feliciano diz que os direitos femininos destroem a família e estimulam o homossexualismo; Otávio de Carvalho diz que feminismo é coisa de mulher trouxa; Rodrigo Constantino diz que Scarlett Johansson ficou horrorosa por cortar o cabelo curto ao estilo feminista.

Scarlett-Johansson feminista.jpg
Será que a Scarlet feminista ficou mesmo horrorosa?

A extrema direita anda dizendo até que feminismo é comunista, seja lá o que isso quer dizer.

Toda essa problemática não passaria de uma curiosidade nas redes sociais se não fosse Bolsonaro, representante da Extrema Direita, liderar a corrida presidencial de 2018 com chances reais de vitória.

Bolsonaro seguindo os passos da direita radical se coloca contra o feminismo, repete o padrão do patriarcado e faz o estereótipo do homem macho tradicional. Ele tem mais de 20% das intenções de voto porém enfrenta uma rejeição de 40% do eleitorado. Sua principal barreira para chegar ao Planalto são justamente as mulheres.

Por motivos ideológicos e sem qualquer explicação lógica, a direita radical decidiu se posicionar contra o feminismo e justamente essa decisão está impedindo a direita de tomar o poder. Talvez isso sirva de lição a todos aqueles que preferem seguir a cartilha de determinado grupo ideológico no lugar de ter uma visão mais pragmática sobre os temas urgentes que nos afligem.

Se isso é ruim para os políticos, ainda é pior para as pessoas comuns que andam nas ruas, atrasam prestações e tomam café coado. Se as mulheres querem direitos, isso é totalmente legítimo, são elas que sentem na pele as diferenças de tratamento em relação aos homens. Me pergunto por que o feminismo soa como ameaça para tanta gente.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s