Invasão Zumbi

Invasão Zumbi

O ano é 2030, uma década depois da última tragédia global, o mundo se vê diante da maior ameaça de sua história, uma invasão zumbi.

Aparentemente tudo começou com um vazamento numa  instalação nuclear do Irã. A crise evoluiu muito rápido, em pouco tempo havia zumbis em todos os continentes. Cada pessoa atacada por um zumbi logo se transformava em um comedor de cérebros, as autoridades demoraram a responder à ameaça.

Algumas cidades estavam conseguindo conter a invasão construindo muros imensos, mas no Brasil a solução ainda era contestada e como vocês podem imaginar, uma imensa polêmica se instaurou.

Eu separei alguns posts do Twitter de 2030 e  através deles vocês poderão entender o que se passa e os diferentes pontos de vista.

Presidente Felipe Neto – Estamos em processo adiantado no projeto de construção de muros, em breve se iniciam as obras, será um enorme investimento. Até termos os muros pedimos que os brasileiros fiquem em casa.

Ex-ministro Paulo Guedes – A melhor forma de conter os zumbis é reduzir os salários e cortar as férias.

Veja São Paulo –  Confira os melhores bares em bunkers para sair em São Paulo.

João Amoedo – É um absurdo o Estado gastar com a construção de muros. Precisamos diminuir os impostos que meu banco paga.

Eduardo Bolsonaro (em prisão domiciliar) – Se todo mundo tivesse armado nada disso teria acontecido.

Ex-presidente Lula – O PT não aceita qualquer união para conter essa crise de zumbis, podemos resolver isso sozinhos.

Marco Feliciano – Deus me avisou que só o dízimo pode conter os zumbis do diabo. Deposite agora mesmo na minha conta número XXXX-X

Ciro Gomes – Se os muros custarem até 11% do PIB, considerando uma taxa Selic de 2,25%, podemos calcular um déficit primário de 14,7 bilhões mais o abono do salario mínimo, desde que o imposto sobre dividendos não ultrapasse o teto de gastos, descontada a inflação de 1984.

Doria – Precisamos privatizar os muros.

Léo Dias – A Anitta é falsa e não tem talento.

Folha de São Paulo – Infográfico explica a invasão Zumbi

Uol – Bruna Marquezine posta fotos de seu bunker

G1 – Mulher mata marido bêbado com paneladas e diz que o confundiu com um zumbi

Carlos Bolsonaro – O velho teatro das tesouras volta a agir mais descarado: Os traíras vermelhos alinhados com os tucanos e com os gulosinhos biografados.

Malafaia – Deus me avisou que só o dízimo pode conter os zumbis do diabo. Deposite agora mesmo na minha conta número XXXX-X

Véio da Havan – Não dá para parar a economia por um ataquezinho de zumbis.

Augusto Nunes – E o PT?

Caio Copolla – Nos EUA morre mais gente engasgada do que devorada por zumbis.

Gilberto Gil – A questão da zumbilização da sociedade, tem a ver com a tropicalização da cultura enquanto manifestação do morto e do vivo. É o ser baiano encontrando seu caminho no vácuo da sociedade de consumo. Ou não.

Estado de São Paulo – Zumbis ou PT, uma escolha difícil

Edir Macedo – Deus me avisou que só o dízimo pode conter os zumbis do diabo. Deposite agora mesmo na minha conta número XXXX-X

Boulos – O verdadeiro Zumbi é o capitalismo de devora o cérebro do trabalhador

Abraham Weintraub – Esses zoombes devem ser coiza de xinês ou de comunizta

Datena – Tem matar tudo esses zumbis vagabundo aí!

Guga Chakra – A região de Marcazi, onde surgiram os primeiros zumbis é de etnia Naari, com uma população 16% sunita.

Cabo Daciolo – Glória a Deuxx

Ricardo Salles – Só a destruição da Amazônia e das populações indígenas pode conter os zumbis

Felipe Mello – Pode vir atacante, pode vir zumbi que por mim não passa

Craque Neto – Pelo que entendi os mortos vivos são como o Ganso, só que com fome.

Manuela Dávila – As zumbis mulheres são 50% da população, mas só devoram 10% dos cérebros.

Roberto Jefferson – O PTB só vota a favor da construção dos muros se minha filha virar ministra da dezumbinação.

Ex-presidente Jair Bolsonaro (em prisão domiciliar) – E daí se morrer gente no tocante a isso aí de zumbis?

Rubens Barrichelo – Fiquem em casa, lavem as mãos e só saiam de máscara.

A Mascarada do Mercado

A Mascarada do Mercado

(Esse texto é o desenvolvimento de uma ideia do Edson “Coke” e do Márcio Andraus. Espero que eles gostem…)

Geraldo olhava para a prateleira, indeciso sobre qual marca de azeitonas levar quando a estranha mascarada passou na outra ponta do corredor. Ele mal a viu, só reparou na camiseta do Metallica.

Depois, quando cruzava a sessão de iogurtes, pôde vê-la melhor. Era de média estatura, tinha o corpo bonito, cabelos curtos como se usava nos anos 80, vestia calça jeans e a camiseta já mencionada. Mesmo sem ver seu rosto, Geraldo concluiu que era bonita.

Mais tarde, em casa, quando limpava as embalagens antes de guardar as compras, Carla reclamou –  Já falei para não comprar essa marca de amaciante –  Geraldo lembrou da estranha mascarada e suspirou.

Geraldo era funcionário público, tinha tudo para viver uma quarentena confortável. Tanto o emprego como o salário estavam garantidos. Morava em uma casa espaçosa, podia até tomar cervejas no quintal, ouvindo Black Sabbath. Porém Carla, não estava tornando as coisas fáceis.

“Você já tirou o lixo?”

Abaixa esse som.”

“Não é assim que se dobra o lençol de elástico.”

Geraldo suspirava.

Na semana seguinte, ele decidiu fazer compras no exato horário em que havia feito na anterior, terça às 18h. Para a sua surpresa, lá estava ela, a estranha mascarada. Encontrou-a justamente selecionando cervejas artesanais, demonstrando um bom gosto incrível.  A mulher tinha um conjunto de atributos difícil de esquecer, cabelo curto estilo anos 80, fã de Metallica e cervejas artesanais. Precisava conhecê-la, mas antes disso precisava comprar Sapólio, se esquecesse de novo, Carla iria matá-lo.

O passar das semanas revelou que a estranha mascarada era pontual no seu horário de compras, o que transformou Geraldo num “stalker”  regular e assíduo. Toda terça ele estava no mercado, sempre a observando de longe. Curtia as camisetas dela, as cervejas que ela levava, o jeito independente e leve que imaginava que ela tinha.

Na cabeça de Geraldo, a mascarada era o oposto de Carla. Se estivesse vivendo a quarentena com ela, com certeza passaria as tardes ouvindo heavy Metal e tomando cerveja no quintal. Provavelmente fariam churrascos, drinks, ririam alto e tudo o mais.

Carla por sua vez estava obcecada com a limpeza da casa, impaciente com a nova rotina e achava Geraldo imaturo por ficar ouvindo as mil vezes as músicas de sua adolescência. A convivência 24 por 7 não estava fazendo bem ao casal.

Numa tarde de agosto, Geraldo decidiu se aproximar da estranha mascarada. A quarentena já estava menos rigorosa e muitas pessoas abriram mão das máscaras.

A estranha mascarada, ao vê-lo, aproximou-se:

_ Você não é o Geraldo? – Perguntou puxando a máscara para o queixo – Não está me reconhecendo?

Vendo-a de perto, de cara desnuda, ele reconheceu de imediato. Era Valéria, casada com o primo Jandir. Não os via há anos, mas na rede social eles eram daqueles chatos Bolsonaristas, sempre pedindo a cabeça do Moro ou o fechamento do Congresso.

Conversaram por 5 minutos e se separaram.

Ao chegar em casa, Geraldo bradou:

_ Amor, comprei uns queijos e aquele Malbec que você adora! Que tal uma noite romântica?

Eu estava lá

Eu estava lá

Amigos, como vocês devem ter visto na TV, eu estava lá. Usei de meus contatos secretos e apareci de bicão no pronunciamento do Bolsonaro. Tenho informações privilegiadas que só quem está no coração do poder possui. Como não consigo guardar segredo, contarei agora os detalhes picantes do evento.

Em primeiro lugar, preciso dizer que a cerimônia toda foi uma chatice para nós que estávamos lá de figurantes. Tirando o presidente que falou e o tradutor que traduziu, todo o resto precisou de uma força mental tremenda para ficar  parado, sem se mexer, sem rir e pior de tudo, sem olhar para o celular. Imagina o Eduardo Bolsonaro… Acho que ele nunca havia ficado tanto tempo sem mentir no Twitter.

Eu estava bem do lado da Damares e subi na bíblia dela para parecer mais alto. Damares estava séria, melhor que o Nelson Teich que deu uma beliscadas no traseiro do Ernesto Araújo. Pode parecer mentira, mas o clima do ministério bolsonarista é de total zoeira. Pior que ônibus de excursão de colégio.

Cinco minutos antes do início da transmissão, Paulo Guedes em seu sotaque de malandro carioca apostou com o General Heleno que iria ficar sem sapatos. E não é que o super ministro ficou a transmissão toda de meias?

Quando o Eduardo Bolsonaro chegou alguns ministros contestaram sua presença, mas ele argumentou que o Mourão também não era ministro. Mourão prontamente respondeu que não era ministro mas em breve seria Presidente. Todos riram.

Descobri que ninguém da turma era muito fã do Moro. Ao que parece, ele nunca quis participar da Zoeira, sempre foi muito sério. Quando o Salles ligava no meio da noite para passar trote ele reclamava com o Bolsonaro no dia seguinte. Um mala.

De repente fui abordado por um grupo que não me reconheceu, estavam preocupados que eu fosse um petista infiltrado. Menti, dizendo que era o Governador do Acre. Damares ainda perguntou o que era o Acre, Weintraub disse que era um Estado do Nordeste. Todos me cumprimentaram com reverência e ficou tudo bem.

Logo no começo da fala alguém soltou um Pum. A cara do Nelson Teich ficou deformada, ele ficou zonzo o resto do evento. Foi quando Paulo Guedes vestiu a máscara de proteção.

Tirando esses pequenos incidentes foi tudo muito chato. Bolsonaro falou, falou, falou e nós ficamos lá, fazendo pose e esperando o final para aplaudir.

Quando Bolsonaro estava saindo do recinto, Mourão começou a assobiar a música do Meme do caixao . Todos riram.

Grampearam o presidente

Já grampearam o presidente. Nada de novo. Aconteceu com os últimos 3. Com ou sem motivo, se você ganha uma faixa verde-amarela pode ter certeza que nela já tem um microfone escondido.

Porém, com o Moro no Governo vai ser mais difícil divulgarem uma conversa indevida, ou pelo menos, deveria ser mais difícil. Pois este blogueiro conseguiu em primeira mão uma gravação de hoje cedo feita diretamente do gabinete presidencial. Prepare-se leitor, você saberá tudo o que acontece no coração do comando tupiniquim.

Na conversa abaixo transcrita, Bolsonaro interage com um assessor ainda não identificado. Estamos no sétimo dia de mandato e o diálogo começa assim que ele chega ao trabalho, logo depois de beijar o retrato do Trump.

– Bom dia, pega o meu Ipad que hoje eu tô com umas tiradas ótimas para zoar os petralhas no Twitter.

– Não podemos mais, senhor presidente. Agora o Secom será responsável por suas postagens em todas as mídias sociais. Lembra?

– Lembro, catzo. Mas aquelas bicha fica me zuano direto (sic). Não posso nem responder?

– Infelizmente não, excelência.

O presidente fica um pouco em silêncio. Ouve-se um barulho de batuque na mesa, depois ele retoma.

– Será que tem uns jornalistas na frente do prédio? Eu posso ir adiantando as novidades da economia pra eles…

– O Paulo Guedes me pediu para não deixar vossa excelência falar de economia. Disse para que eu tentasse evitar de qualquer maneira.

– É verdade. Ele e o Marcos Cintra me proibiram mesmo…

Novo silêncio.

– O senhor quer outro exemplar de palavras cruzadas?

– Não precisa. Vamos dar um pulo no Congresso. Eu vou ameaçar quem vota contra o Governo. É hora dos esquerdistas vagabundos verem quem manda nessa merda.

– Senhor presidente, o Onyx já deixou claro que o senhor não pode fazer isso, lembra? Atrapalha a articulação.

– Tem  razão, no tocante a articulação, tem de ficar tudo bem articulado.

Silêncio constrangedor. 8 minutos depois…

– Olha de novo a minha agenda. Tem certeza que não tem nada?

– Tem uma visita ao Colégio Militar. O senhor vai discursar para os adolescentes.

– Excelente, perfeito! Convoque a imprensa, separe meu paletó, chame meus filhos.

– Os filhos não presidente, por favor os filhos não!

Curvem-se diante do rei

Curvem-se diante do rei

Amigos leitores, esqueci de comentar mas mudei minha visão política. Decidi a aderir ao golpe. Não esse golpezinho parlamentar que tirou a Dilma. Esse é pouco para mim. Quero o golpe grande, aquele que vai acabar de vez com a democracia para colocar um ditador cruel em seu lugar. Aquele golpe que é carinhosamente apelidade de intervenção pelos seus defensores.

Intervenção Já! É a hora de colocar um nome forte, confiável e São Paulino no poder.

Quem? – Pergunta o leitor que chegou até aqui.

Querem saber quem é o cara que vai resolver a zorra toda? Eu respondo com uma música do rei Roberto Carlos:

Essa cara sou eu!

Sim meus caros, chegou a hora da volta da ditadura, ou melhor ainda, do Império. Me declaro Imperador Lúcius I, Primeiro de seu nome, Quebrador de correntes de Whatsapp, Pai dos dragões, Protetor do reino.

Eu dei um tempo antes de assuimr meu destino, esperei para ver as propostas da concorrência, mas as ideias dos candidatos são tão invisíveis quanto a Marina Silva em anos não eleitorais. O Brasil não pode viver mais sem minhas propostas.

Aliás, serei um regente tão generoso, que vou antecipar aqui algumas das minhas ações de governo. Não que eu me preocupe com vossas opiniões. Muito pelo contrário. Sou um monarca autoritário e pouco me importa o que vocês pensam sobre a prisão do Lula ou sobre as decisões do Gilmar Mendes. Deixo ainda claro que se forem comentar esse post, que seja com elogios pois qualquer outro comentário será sumariamente apagado.

Dadas as explicações, seguem as propostas:

1 – Fica instituído que qualquer parlamentar seja de que esfera for, só poderá ter até 2 assessores, ambos concursados e funcionários de carreira.

2 – Fica proibido o Metrô de São Paulo de quebrar.

3 – A Copa do Mundo do Qatar será transferida para o Brasil.

4 – No meu governo (vitalício) comida gostosa e cerveja não vão engordar. Quem disser o contrário será preso e terá sua língua arrancada.

4 – Uma estátua da Scarlett Johansson substituirá o Borba Gato.

5 – Kim Kataguri e seus comparsas serão obrigados a lavar a boca com sabão todas as manhãs, até aprenderem que mentir é feio.

6 – Dória será promovido a varredor de rua pelos próximos 5 anos para aprender que não pode se fantasiar de gari e em casa não lavar a louça (ele também terá de lavar a boca com sabão).

7 – Distribuirei livros em todos os lugares. Nos trens, nas prisões, nas escolas e nas praças. E não será só auto-ajuda. Teremos distribuição de Guimarães Rosa, Caio Fernando Abreu, Érico Veríssimo, livros da Pólen. Coisa boa disponível para toda a população.

8 – Bolsonaro será colaborador do governo. Darei um revólver para ele e ele ficará responsável por acabar com o crime na baixada Fluminense. Se conseguir resolver o problema em 6 meses eu deixo ele seguir carreira na polícia. Já os filhos dele serão todos convocados para ajudar o Dória na varrição de rua. Eles precisam aprender o valor do trabalho.

9 – A maconha estará liberada. Vamos incentivar os consumidores a plantarem seus próprios pés de maconha. Os traficantes, o PCC e os políticos mineiros terão de arranjar outra forma de ganhar a vida.

10 – Todos os laçamentos legais do Telecine deverão passar também na Netflix.

11 – As homorróidas serão banidas.

12 – O São Paulo terá de contratar outro goleiro (não vale o Dênis).

13 – Todas as ruas terão calçadas largas e bancos de praça para vocês sentarem e baterem papo na hora do almoço.

14 – Fica proibido o fundue de carne.

15 – Proíbo também as pessoas darem bom dia no Whatsapp. o aplicativo só funcionará a partir das 11h da manhã.

16 – Todos estão proibidos de chutar a quina da cama com o dedinho.

17 – Cada Brasileiro será obrigado a compartilhar pelo menos um texto do “Toda Unanimidade” a cada semana.

18 – Liberação das armas só para mulheres.

Enfim meus caros, paro por aqui, senão a lista dos que precisam lavar a boca com sabão vai crescer demais. Se tiverem pedidos ou reivindicações, podem me encaminhar. Não que eu me importe.

(Espaço para o carimbo real)

Meu sucesso no Whatsapp

Meu sucesso no Whatsapp

Acordei e levantei-me com cuidado para não atrapalhar a moça que dormia ao meu lado. O nome dela é Karen e eu a conheci numa festa na noite anterior. Tomei uma ducha rápida e passei um café. Ela apareceu na porta da cozinha, vestindo minha camiseta com um sorriso sem graça.

Conversamos melhor na padaria, onde fizemos um brunch juntos. Ela é simpática e extrovertida e me surpreendeu com uma afirmação.

“Estava louca pra te conhecer”

“Como assim? Alguém falou de mim pra você?”

“No meu grupo de Whatsapp, o Viúvas do Grey. Todas te achamos fofo”.

Eu quis entender melhor a história. Como virei assunto no grupo de Whatsapp dela? Que grupo é esse?

Ela explicou que é um grupo de mulheres e uma tal de Vanessa (amiga da amiga) me compartilhou de um outro grupo que ela participava. Aparentemente ganhei alguma competição de solteiro mais interessante da semana. Assim, quando Karen me viu na festa, já estava interessada em mim.

Ela me mostrou a foto da Vanessa e eu não a conhecia. Mas, guardei o sobrenome para procurar no Facebook. Nada de amigos em comum.

Na noite seguinte fui jantar com dois casais de amigos e contei a história que me intrigava. Carolina, esposa do Rogério, trouxe luz ao caso.

“Uma amiga do meu grupo Advogadas PUC 98 se divorciou e eu te indiquei pra ela. Eu postei uns links das suas fotos do Face. Acho que eu dei uma exagerada nos elogios. Falei que você era pra casar.”

A confissão da Carol era um bom começo para entender o que se passara. Ainda assim, havia um gap entre as Advogadas da PUC 98 e as Viúvas do Grey. Será que os grupos tinham alguém em comum?

Mal tive tempo de ter dúvidas. Carolina com os dedos ligeiros já havia perguntado às amigas e descobriu que Karine havia compartilhado minhas fotos em outro grupo, o Runner do Tatuapé e que Carmem havia me sugerido para sua prima Ana Lúcia, que acabara de chegar de Cuiabá.

Em dois dias, Carolina, absolutamente curiosa e engajada, conseguira remontar a linha que separava a mensagem que ela enviara até o grupo da simpática Karen, o Viúvas do Grey. Minhas fotos e elogios cada vez mais exagerados sobre meu charme circulavam como piadas velhas em grupos de família.

Eu devia ter desconfiado.

Antes mesmo de conhecer Karen, desconhecidas começaram a pedir amizade no Facebook e a me seguir no Instagram. Eu ignorei o fenômeno no começo, mas não pude ignorar quando atingiu proporções épicas. Diziam já haver grupos de Viúvas do Marco Aurélio no Whatsapp. No Twitter, #marcoaureliofofo virou TT. Criaram memes com minhas fotos. Recusei um convite para ir ao programa da Luciana Gimenez.

Agora, quando entro em um restaurante, tenho a impressão que há olhos me fitando. Mesmo na rua, sinto dedos a me apontar. Percebo que sou assunto nas conversas em voz baixa no metrô.

Nunca mais fui a uma balada. Saí das redes sociais. Não quero ser celebridade, muito menos por um motivo tão estranho. Só não consigo evitar uma ou outra abordagem na rua quando respondo de forma seca.

“Não minha querida, apenas pareço com o Marco Aurélio, não sou fofo, não sou pra casar”.

Vamos censurar!

Vamos censurar!

Já que está na moda também quero censurar! Vamos preservar a família e valores ímpios das pessoas de bem! Vamos meter a tesoura na música, no teatro e nas artes, vamos acabar com esses cineastas vagabundos que defendem o livre pensamento e com essa elite intelectual doutrinada por Trotsky e Rasputin.

As normas de censura definidas exclusivamente por mim, de forma totalmente democrática, são as seguintes:

1 – Combate ao vilipêndio religioso – Nada que ofenda as religiões será permitido na arte e na comunicação

Os primeiros a terem a língua cortada serão os Titãs por “Igreja”.

Seguidos por Eça de Queiroz e seu Crime do Padre Amaro

Novelas como Roque Santeiro e Tieta assim como toda a obra do Dias Gomes serão banidas.

Não para por aí, também estão proibidos:

O Poderoso Chefão 2

A série Young Pope

O Exorcista

A banda Iron Maiden (por The Number of The Beast)

Black Sabbath

Judas Priest

John Lennon e os Beatles: “Somos mais populares que Jesus Cristo”

Saramago, o ateu.

Quero que vá tudo para o Inferno (Roberto Carlos)

Rolling Stones (banidos do Brasil por Simpathy for the Devil)

A igreja evangélica (por chutarem a santa e por atacarem as religões africanas)

Todos os filmes do Almodóvar mas especialmente “Maus Hábitos”.

O Alto da Compadecida e seu Deus negro e piedoso diante do Bispo corrupto é imperdioável.

2 – Zoofila e todas as práticas de sexo heterodoxas na arte.

Começemos a banir o Ultraje a Rigor e sua ode à zoofilia “Mary Lou”.

Woody Allen será seriamente castigado por “Tudo o Que Você Queria Saber sobre Sexo e Tinha Medo de Perguntar.

30082016-gene-wilder-tudo-o-que-voce-sempre-quis-saber-sobre-sexo-e-tinha-medo-de-perguntar
Em filme de Woody Allen, psicólogo se apaixona por ovelha

Vamos proibir Pulp Fiction do Tarantino, onde, nas palavras de Paulo Francis, “dois homens sodomizam um criolo”.

Lulu Santos deve ser impedido de cantar a baixaria de “Toda Forma de Amor”.

Hieronymos Bosch: Encontrem onde esse pilantra mora e vamos colocá-lo atrás das grades!

bosch-temptations-of-saint-anthony-left-panel-18.jpg
Obra do Esquerdopata Bosch

Mandem prender esse tal de Sófocles e aproveitemos para levar junto Nelson Rodrigues, Philip Roth e João Ubaldo Ribeiro!

Não se esqueçam da Netflix com seu Sense 8 dirigido pelos irmãos travecos.

Game of Thrones, meu Deus, quase ia me esquecendo: Tem incesto, deuses falsos, sexo de todos os tipos, prostituição, pederastia, nu masculino. Censurem já!

 

3 – Combate à doutrinação Comunista

Vamos atacar esses livros e filmes que ensinam valores deturpados para nossas crianças passando a pior de todas as doutrinas: O comunismo!

Agora me lembro de um livro perigoso, só que esqueci o nome, será que vocês conhecem?

Tem um personagem rebelde que enfrenta o sistema e os líderes religiosos da época. Lembro-me de uma frase desse livro, dita pelo tal desajustado:

“_Mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um rico subir ao reino dos céus”.

No mesmo livro esse personagem divide pães e peixes, sem perguntar qual o mérito das pessoas que recebem o alimento.

Numa passagem, ele salva uma mulher adúltera do apedrejamento que as pessoas de bem estavam prestes a executar.

Se alguém puder me lembre o nome desse livro. Precisamos impedir que a sua mensagem comuna chegue aos ouvidos das inocentes criancinhas. E principalmente, evitar que um livro desse chegue às escolas!

 

*Não falei de pedofilia no texto porque acho um tema muito pesado para piadas e ironias.

**Para quem não conhece o tom sarcástico do Blog, deixo um aviso que aqui tudo e nada são verdades ao mesmo tempo. “Toda Unanimidade” é um espaço de provocação e incentivo ao pensamento crítico.

 

 

A Bíblia e os aplicativos

bíbliadigital.png

Deus vê tudo, sabe tudo e pode tudo. Antes de existir qualquer coisa existia Deus.

Portanto, para Deus, não haveria problema algum em criar aplicativos e smartphones desde o início dos tempos. Ele apenas omitiu isso na bíblia pois os Apps da antiguidade eram motivos de imensas frustrações.

Vocês estão prestes a conhecer a verdade até hoje não revelada, trazida a luz pela mão dos Templários Espaciais, seita secreta que guarda os livros sagrados mágicos e só se comunica com a humanidade através do Toda Unanimidade.

Vamos aos fatos:

Adão foi o primeiro usuário mundial do Tinder, não teve grandes dificuldades em fazer a conta, porém aborreceu-se rapidamente quando todas as suas buscas indicavam apenas a Eva. Passaram algumas gerações até que o aplicativo voltasse a fazer sucesso.

Noé, por sua vez, era um usuário fanático do Instagram, fotografava os animais da Arca mas também aborreceu-se. Nunca conseguiu mais de 5 curtidas numa foto. E só chegava às 5 quando a mulher não esquecia de carregar o celular.

Quando a terra secou e arca aproximou-se do monte Ararat a troca de Emojis foi intensa. Noé enviou para Deus um emoji de pomba e recebeu em troca uma folha de oliveira. Ao deixar a embarcação todos receberam emojis de arco-íris.

Moisés era daqueles que não sabia usar direito o Smartphone. Passou 40 anos perdido no deserto em busca da terra prometida e só achou o caminho no trigésimo nono ano alguém lhe mostrou o Waze.

Sansão era o maior fã das selfies. Egocêntrico, fez sucesso exibindo os longos cabelos e músculos torneados. Sucesso que incomodou Dalila e o resto da história todos sabem.

Os Haters do Twitter pegaram no pé do rei Salomão. Foram milhões de pedidos de #forasalomao quando ele sugeriu que se dividisse uma criança ao meio. Afinal, divisão igualitária é coisa de Comunista. Vai para o Oriente, gritavam alguns, já que Cuba ainda não existia.

Davi, por ser uma criança na época em que venceu Golias, era o único da bíblia que conseguiu usar o Snapshat e eu não posso dizer o que ele fez com o Snap porque não consigo entender essa droga de aplicativo.

O único app que não havia naqueles tempos era o Uber, devido a inexistência de carros. Porém, o Biguber era igualmente eficiente e ajudou muito os três reis magos que nada conheciam de Israel.

O WhatsApp foi muito útil nos tempos de Jesus. O grupo “Apóstolos” mudou a história do mundo. O que não se pode confirmar é o vazamento de nudes da Maria Madalena. Quando perguntaram a Tomé ele foi evasivo: “Só acredito vendo”.

Falando em Jesus, seu vlog o alçou para a categoria de maior Influencer da humanidade, reinando absoluto até o vlog do Maomé entrar no ar. O vídeo do sermão da montanha teve mais de 6 milhões de views, transformando Jesus no Gangnan Style do Império Romano.

Essas são apenas algumas das muitas histórias ocultas dos livros sagrados. Se os meus informantes me derem licença, trarei outras, igualmente reveladoras. Preciso me recolher agora para encontrar meu grupo divino. Torcendo que curtidas transcendentais enfeitem este post.

A Verdade Sobre a prisão Eike Batista

Prisão de Eike Batista.jpg

Compartilhe antes que o Facebook e o WhatsApp censurem. A verdade que o jornal Nacional e a Folha não tiveram coragem de publicar.

Em 1990, Donald Trump esteve no Brasil cuidando de negócios e conheceu Luma de Oliveira em um evento. O Multimilionário americano ficou encantado com a beleza da modelo e começou a assediá-la sem sucesso. Ela dizia que era noiva. De nada adiantou a insistência de Trump. Luma o ignorou. Algo que nunca havia acontecido em sua vida.

Já nos EUA, Trump soube que o noivo era um jovem e pouco conhecido empresário brasileiro: Eike Batista.

Mesmo casado, Trump ainda tentou contatar Luma que continuou irredutível. Trump não aceitou a derrota. Jurou que se vingaria destruindo Eike, usaria seus recursos, sua fortuna, o que fosse possível para acabar com os negócios do rival.

Porém, Trump não imaginava que enfrentar Eike era tão difícil. O Milionário carioca ficava cada vez mais rico. Se envolvia em diferentes ramos e não parava de crescer. Mesmo com toda a sua fortuna, houve um momento em que Trump parecia um escoteiro diante de um gigante. O Mundo se curvava frente ao capitalista brasileiro.

Isso aumentou um o ódio de Trump que não aceitando a derrota, traçou seu plano. Só havia uma forma de ser mais poderoso que Eike, conquistando a Casabranca, possuindo o maior exército do mundo.

Tantos anos tinham se passado que Trump praticamente se esquecera de Luma. Eike já estava com outra esposa. A disputa não era mais pela atenção de uma mulher, Trump queria provar a si mesmo que era superior, que era maior.

Primeiro foi preciso destruir o império de Eike, plantando notícias falsas que derrubaram as ações de suas empresas. Até seu filho Thor foi atacado por um ciclista suicida.

Quando Trump soube que no Brasil juízes estavam prendendo políticos e milionários numa gigantesca ação contra a corrupção, ele percebeu a chance de fazer sua grande jogada.

Durante a Campanha para a presidência, o candidato republicano pediu ao amigo Putin que usasse seus espiões para forjar provas falsas contra Eike. O governador Cabral acabou sendo incriminado sem ter nada com a história, apenas para que as acusações contra Eike fizessem sentido.

Finalmente, no começo de 2017. o plano de Trump deu certo. Ele se tornou presidente e logo depois veio a ordem de prisão de Eike. o Ex-bilionário, em desespero, tomou um vôo para nova Iorque para implorar perdão ao seu algoz.

Só que com Trump não há perdão. ele sequer recebeu Eike. Apenas assistiu satisfeito a derrocada do rival. Entre charutos e taças de Dom Perignon, Trump dançou no salão oval, batendo na mesa e revendo cem vezes as fotos de Eike algemado. Agora a America pode ser grande de novo!

(Não vamos deixar que nos escondam essa verdade. Passe essa mensagem para o maior número de pessoas possível.)

Acabem com a democracia

Captura de Tela 2016-12-14 às 23.16.40.png
O Brasil celebrando minha ideia

Já dizia Raul Seixas: “A solução pro nosso povo eu vou dar. Negócio bom assim ninguém nunca viu”.

Tal como ele, eu tenho a saída para o nosso país. E já adianto que a minha solução não é alugar o Brasil (embora não ache a proposta do Maluco Beleza de todo mal).

Mudemos a constituição ao meu modo, façamos a reforma política sob as regras que descreverei agora e teremos o país de nossos sonhos, o sistema perfeito e irretocável.

Em primeiro lugar esqueçam a democracia representativa como ela existe hoje. Nossos políticos apenas representam seus próximos interesses. Esqueçam a ditadura militar, os milicos estão muito felizes batendo continência e esperando suas aposentadorias fabulosas. Esqueçam a monarquia, os Orleans e Bragança preferem seus pijamas. Esqueçam o comunismo, a dieta de criancinhas dá azia em nossos frágeis estômagos.

Conheçam a Luciocracia.

Na Luciocracia todos os membros do legislativo serão escolhidos por sorteio puro e simples. E quem serão os candidatos? Qualquer brasileiro maior de 18 anos.

Assim caro leitor, a cada 4 anos o Faustão aparece na TV ao lado do Silvio Santos e do Datena e anuncia o nome dos 300 sorteados. E você assistirá ao sorteio com o coração na mão, torcendo para ter um salário decente pelos próximos 4 anos, com direito a apartamento funcional e vale transporte (porque carro oficial não existe na Luciocracia).

Entre os trezentos congressistas sortearíamos o primeiro ministro e a cada 4 anos trocaríamos a tropa toda.

Pensem:

  • Sem eleições não haveria motivo para as empreiteiras bancarem os candidatos.
  • A Verba partidária seria imediatamente transferida para o ministério da educação (o ministro seria um professor sorteado, evidentemente).
  • No final dos 4 anos bons e maus voltariam para os seus estados e novos membros seriam escolhidos.
  • O congresso teria uma representação mais fiel da sociedade: 1% de ricos, 51% de mulheres, 9% de fãs do Bolsonaro, 13% de São Paulinos, 5% de palmeirenses e assim por diante.

O plano é perfeito, nem precisa de grandes discussões, já está aprovado.

Eu não quero nada em troca pela salvação do Brasil. Apenas peço que diminuam as notícias de política no Jornal Nacional (saudades das notícias do bebê panda no zoológico) e que voltem as velhas tomadas. Basta de adaptadores.