A decadência da esquerda

A decadência da esquerda

Fazer matérias sobre o ostracismo da esquerda está virando clichê. Até Luís Carlos Prestes concordaria que a esquerda não vive um bom momento, sem pautas definidas, união e força de atuação. Enquanto parte dos progressistas insistem no culto semimessiânico a Lula, outra parte debate a ética de se usar fantasia de índio no carnaval.

O PT aceita qualquer aliança (sempre aceitou) desde que seja o protagonista. Ciro tem um projeto absolutamente individual, o PSOL perde tempo homenageando ditadores do passado e o PCdoB, depois de 20 anos, descobriu que não é mais comunista. Cada um no seu canto, todos sem a força do partido bolsonarista que ainda nem foi criado.

A direita por outro lado comemora vitória aos tiros para o alto. A bolsa subiu, os juros caíram, a Amazônia pega fogo e os índios voltarão a ser catequizados. Melhor do que isso, nas palavras do Ministro Guedes, pobre não vai mais viajar para o exterior – “Que viajem para Cachoeiro do Itapemirim”! 

Só eu, com minha visão pouco convencional, considero a decadência da direita ainda maior que a da esquerda.

A direita que já teve como ídolos nomes como Churchill, Margaret Thatcher ou Roberto Campos, tem hoje como grande líder intelectual um paraquedista preguiçoso, desonesto e cheio de rancor.

O grupo de pessoas que chegou ao governo com a nova direita inclui: Um ex-ator pornô com várias condenações na justiça, um astrólogo aposentado que ganha a vida vendendo falsos cursos de filosofia, políticos ligados a milícias do Rio, um Ministro da educação inimigo dos professores. Enfim, um punhado de gente preconceituosa, homofóbica e cheia de ódio. Aliás, eu diria que o ódio é o sentimento dominante da nova direita.

Livros de Machado de Assis são cesurados, o AI-5 reaparece como sugestão na boca do filho do presidente e do Ministro da Economia, a ciência é contestada, o Ministro do Meio Ambiente defende a destruição da Amazônia e na Secretaria de Cultura, um vídeo oficial recria a comunicação nazista de Goebbels.

O presidente do Brasil ofende o pai de uma chanceler da ONU, o presidente do Brasil ofende a Primeira Dama da França, o Presidente do Brasil publica pornografia nas redes sociais, o Presidente do Brasil ataca a imprensa, o Presidente do Brasil proíbe propaganda do Banco do Brasil por ter modelos negros e Gays. 

Lendo assim, nem parece verdade, mas tudo isso aconteceu e foi apenas 1% das maluquices e maldades que a direita vem exercendo desde 2019.

A única coisa que a nova direita tem hoje é o poder. Fora isso não tem valores, não tem quadros com grande capacidade administrativa, não tem pensadores sérios e não tem um projeto consistente.

Enfim, embora seja hegemônico, não há nada a se admirar nesse grupo. Se esta é proposta da direita, então prefiro a velha política, ou até mesmo a esquerda fragmentada e sua utopia juvenil.

Creio que podem ainda surgir novas lideranças e alianças mais interessantes, tanto de esquerda como de centro, ou até mesmo grupos de direita não atrelados ao ataque à cultura e à negação da ciência. Hoje o futuro parece assustador, sem alternativas empolgantes. Mas é justamente esse vácuo que pode abrir espaço para novos projetos, espero que melhores.

Vote no PT

Vote no PT

Em primeiro lugar preciso pedir desculpas ao leitor. O título do texto é um pouco falso. Fiz isso para atrair cliques. Confesso. Mas não chega a ser um título totalmente mentiroso. Decidi fazer uma série de textos com dicas para as eleições e começo aqui. Inclusive com o título verdadeiro.

Manual Prático do Voto – Deputados

Caro, a partir de hoje você recebeu uma promoção e passará de Leitor a Eleitor.

As eleições chegando e com elas a dificuldade em escolher os candidatos entre tantos picaretas. Pois eu sugiro que você fique comigo para ter as respostas para todas as perguntas que te afligem.

Comecemos pelos deputados – Estaduais (aqueles que ganham para não fazer nada) e federais (os que chantageiam os presidentes em troca de cargos e verbinhas).

Eu sugiro que a gente divida os partidos em 3 grupos, isso facilitará nossa decisão.

Grupo 1 – Partidos com alguma agenda

São partidos de esquerda, direita, de centro, mas que tem entre seus políticos e seguidores alguma visão de mundo e o desejo de implantar um modelo de governo.

São eles: PT, PSDB, DEM, PCdoB, PODE, REDE, PSTU, PCO, PSOL e NOVO.

Alguns deles são mais honestos, outros menos, mas cada um deles existe para cumprir um agenda, mesmo que sua atuação seja manchada por corrupção.

Grupo 2 – Partidos Empresas

São partidos que existem como negócio. Eles não se importam com quem está no poder. Sempre apoiarão o governo, afinal, querem cargos e verbas. Eles vivem pelos fundos partidários e pelos horários de TV que podem ser negociados e vendidos. Muitos deles se unem e fazem seus crimes e negociatas em grupo, se auto intitulando “Centrão”.

São eles: PP, PTB, PR, PSC, PRB, PSD, PRP, PSL, PMN, PHS, PTC, SD, DC, AVANTE, PRTB, PROS, PATRI, PPL e PMB

O exemplo classico é o PSD do Kassab, que apoiou Dilma até o último dia, apoiou o impixe, apoia o Temer e se o Haddad ganhar será o primeiro a oferecer apoio em troca de um ministério.

Grupo 3 – indefinidos

Não sei por que esses partidos existem, se querem grana ou se tem algum objetivo.

São eles: MDB, PDT, PV, PSB e PCB.

Eu coloquei o MDB aqui porque oMDB é um mistério. É grande demais, abriga muitas alas divergentes. Não sei se pode ser reduzido a um partido-empresa

Conclusão

O motivo deste texto é o seguinte aviso:

Jamais vote em partidos do Grupo 2.

Repito.

Jamais vote em partidos do grupo 2.

Vote no PT, no PSDB, na Rede, no Novo, no diabo que o parta.

Mas jamais vote em partidos do grupo 2.

Na dúvida melhor não votar no MDB também.

Meu Voto

Vou votar para deputado na legenda do PSOL. Motivo: Teremos uma bancada ultra conservadora em 2019. Os direitos dos negros, das mulheres, gays estão ameaçados. O Projeto da Escola-super-evangélica avança loucamente. Vamos precisar de deputados com coragem para defender as liberdades individuais.

PS. Votar em canditado com ficha suja não, né?

PS2. Se concorda e defende os mesmos valores, compartilhe, vamos tentar fazer um congresso melhor.

PS3. Jamais vote em partidos do grupo 2

Será que sou petista? — Toda Unanimidade

Post de 2016 para matar saudades…

Sou humano, confesso, por mais que resista não escapo das discussões em redes sociais. Mea culpa, mea maxima culpa. E o tema do momento, como não pode deixar de ser, é o balaio de gatos que alguns insistem em chamar de política nacional. Em um desses embates virtuais fui chamado de petista por um sujeito que […]

via Será que sou petista? — Toda Unanimidade

O Golpe, explicado tim tim por tim tim.

Captura de Tela 2017-05-23 às 10.18.06.pngFoi Golpe. Foi uma armação dos tucanos com a Globo, o PMDB e a Lava Jato para desvalorizar a Petrobras e entregar a estatal para os gringos. Prova disso é que o PMDB queria acabar com Lava Jato e só podia faze-lo tirando a Dilma que não estancava o sangue da operação. Afinal, foi o PT que criou a Lava Jato que persegue todos menos o Tucanos. Antes do PT a Polícia Federal não podia trabalhar. Se bem que o Aécio vai ser preso por entregar uma mala de dinheiro para o dono do helicóptero de cocaína. Mas a prisão do Aécio foi um plano dos comunistas da Globo e dos artistas lei Rouanet para tirar a atenção sobre o Lula, que nunca é preso. Provavelmente tem coisa com o Moro que soltou o Youssef no caso Banestado. Tem também o Teori, que sempre trabalhou para o PT mas quando caiu o avião, a culpa foi do PT que já matou o Celso Daniel. É evidente que a Veja queria evitar os pobres nos aeroportos e a Fiesp queria a acabar com a CLT, afinal, o PMDB do Skaf paga as contas do MBL e a JBS do filho do Lula pagava mesada para o Aécio e para o Cunha, o deputado que perseguia a Dilma e foi preso pelo Moro que trabalha para o FBI e, assim como o Cunha, também perseguia a Dilma. Já a lei Rouanet, criada pelo Sarney, pagou um show do ex-genro do Chico Buarque, então, ele aceitou apoiar o PT que trabalha para o Venezuelano Chavez mesmo depois de morto. Enquanto isso, os Irmãos da dupla goiana Wesley e Joesley, sócios do filho de Lula que limpava bosta de elefante, fogem dos blackblocs no apê de trinta milhas em Nova York, cidade onde Dória passeia com Loures, o da mala de dinheiro do Temer. Longe dali, Bolsonaro manda todos a merda e diz que vai distribuir uma arma para cada brasileiro enquanto evita que se lembre que ele foi terrorista nos anos 80. Já o Reinaldo Azevedo tece longos elogios ao Reinaldo Azevedo e se esquece da Marisa, a verdadeira culpada, aquela que falava palavrões como o Ciro, o impoluto, que brada “fora Temer”.

E a Marina?

Essa ninguém encontrou.

O PT, o Corinthians e a Legião Urbana

lula corinthians renato .jpg
Eles dividem opiniões

Sempre me pergunto o motivo pelo qual tantas pessoas odeiam o PT com tamanha intensidade. Se questiono os  meus amigos, as respostas são mais ou menos previsíveis:

_ “Porque o PT rouba” – Dirá alguém que votou inúmeras vezes no Maluf e não se importa quando Cunha, Temer ou Aécio metem a mão no dinheiro público.

_ “O Brasil está em crise” –  Diz o outro que odiava o PT  igualmente nos anos de crescimento do governo Lula.

_ “O PT é autoritário” – Diz ainda um que defende a ditadura militar.

No geral são respostas incoerentes, que não me ajudam a decifrar o mistério.

Creio que há motivos para não se gostar do PT, assim como há motivos parecidos para se odiar qualquer outro partido. Só não entendo por que o ódio ao PT é tão desproporcional.

Isso me lembra o Corinthians*, que inspirava ódio em seus adversários mesmo quando estava no fundo do poço.

Talvez a resposta esteja no fã do Legião Urbana. Aquele que pede que se toque Faroeste Caboclo toda vez que vê alguém carregando um violão. O sujeito que depois de umas cervejas gruda na gente e começa a discursar sobre a força poética do Renato Russo. A moça que chora toda vez que ouve “Pais e Filhos”.

O fã do Legião Urbana é o chato perfeito. Assim como o Corinthiano ou  o Petista. Seu amor vira religião e seu discurso pregação.

Toda vez que alguém diz “Fora Temer” vem na minha cabeça o insuportável “Toca Legião” que ouvia sempre que subia ao palco com minhas bandas de Rock. Não é muito diferente do “aqui é Corintcha”, ou do “Toca Raul” ou do “Em nome de Jesus”, dito por testemunhas de Jeová que nos acordam às oito da manhã num domingo chuvoso.

A garra e a fidelidade dos Petistas chegam a ser comoventes, mas a intensidade do discurso traz mais desafetos que admiradores. Assim como o bando de loucos conquista mais secadores que solidariedade. Uns acreditam no Golpe assim como outros acreditam no Mundial de 2000.

Talvez os três fãs devessem repensar seus erros, analisar sua parcela de culpa na perseguição a seus ídolos.

Ou pode ser que isso tudo seja uma grande viagem minha. Será só imaginação? Será que nada vai acontecer? Será que é tudo isso em vão?

 

*Talvez essa comparação só faça sentido aos paulistas, mas você pode transportar para o time de sua preferência em seu próprio estado.

Coxinhas, petralhas e a vizinha fofoqueira

fofoqueira.jpg

Todos conhecem a figura da vizinha fofoqueira. É uma personagem do imaginário Brasileiro.

Ela passa o dia na janela, espalhando que a filha da Dona Cacilda anda com um bando de vagabundos. Ela conta a todos que o cachorro do seu Heitor faz cocô na calçada.

Ela finge ignorar que o filho dela é o melhor amigo da filha da dona Cacilda, que eles  pertencem a mesma turma. E que o gato dela já quebrou vasos de quase todos os moradores da rua.

Enfim, todos concordamos que a vizinha fofoqueira devia cuidar da própria família no lugar de falar da vida dos outros.

Porém, em termos de política, somos todos a vizinha fofoqueira.

Explico:

Quando o Paulo Bernardo foi pego, todos os petistas bradaram em coro:

“_ Só prendem quem é do PT! Cadê a prisão do Cunha? Moro golpista! Globo golpista!”

Eles não disseram uma palavra em relação ao esquema sofisticado de corrupção criado pelo  ex-ministro petista.

Por outro lado, quando Janot pediu a prisão dos caciques do PMDB, os antipetistas postavam:

“_ Por que não prendem o Lula? Esse Janot trabalha para o PT!”

Eles se calaram em relação aos muitos milhões recebidos pelos corruptos peemidebistas.

Fico triste com o momento do Brasil e sonho com um país melhor. Acho que essa melhora passará por uma auto-crítica além da óbvia troca de acusações.

Sonho em ver os petistas clamando pela prisão dos dirigentes corruptos de seu partido. Sonho em ver os antipetistas batendo panelas contra a corrupção e não apenas contra a Dilma.

O conhecimento popular nos ensina a olhar para o próprio umbigo antes de atacar os outros e essa é sempre uma boa ideia.

Petistas, melhorar o PT é mais urgente que voltar ao poder.

Antipetistas, o governo já mudou, quando vocês vão se preocupar com o ATUAL presidente, no lugar de sonhar com revanchismos e vingancinhas?

Saiamos das janelas do Face e do Twitter e usemos o velho e-mail para cobrar o NOSSO partido e os políticos em quem votamos para que tenham uma atitude melhor. Ofender o vizinho nunca resolveu e não vai resolver nada.